sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Uma banda muito especial...


Agosto, a noite estava quente e abafada, mais uma noite perfeita para sonhar, uma noite perfeita para suspirar de amor, para tentar encontrar o amor. eu vou vos confessar uma coisa, eu sou uma pessoa sonhadora, daquele género de pessoas que pensa que os sonhos são realmente os fios condutores da vida, e que só se vive se se sonhar por isso eu sonho, com toda a força do meu ser.
Mas voltando á noite em que tirei esta fotografia, sai de casa em direcção ao café da cidade, na minha mala chamada pensamento levava talvez mais um desgosto de amor, digo talvez porque talvez fosse amor, ou talvez não fosse o que tinha sentido. ia um pouco triste confesso e com pouca disposição para ir para o café da cidade, mas nesse dia um dos meus melhores amigos ia lá tocar por isso eu não poderia faltar, era necessaria a minha presença e a reportagem fotográfica do momento evidentemente. entrei dirigi me para perto do pessoal, a cerveja começou a ser presença habitual na nossa mesa, conversa para aqui conversa para ali, sorrisos e gargalhadas, beijos e abraços, uma noite para recordar com os amigos, e claro umas flashadas no pessoal, para imortalizar o momento.
começa o concerto, as pessoas que se encontravam no bar começam a dirigir a sua atenção para os músicos, as notas soltam se dos instrumentos, a voz do meu amigo começa a entoar pelos quatro cantos do bar, e eu sedento de boas fotos posiciono me e começo a "bater chapa" (expressão utilizada pelos fotógrafos mais velhos). o barulho do diafragma entrava em sintonia com as notas da banda, deixei fluir o pensamento pelos dedos que faziam o diafragma funcionar e daí saíram belas fotografias. algumas musicas depois, e algumas cervejas depois também, depois de alguns aplausos, eu enfio me a um canto, para tirar a fotografia que aqui hoje publico, afasto me de todos e começo a olhar para a assistência e penso, porque batem somente palmas ao meu amigo e aos seus colegas, eu também mereço palmas, talvez mais que eles, porque? porque eles limitavam se a tocar temas de outras bandas, e eu não, eu estava a criar arte, a fotografar o que ninguém mais fotografava, era eu o original, era eu quem merecia as palmas, era eu apenas eu...

Com isto não quero que me julguem convencido, quero apenas mostrar que eu também faço arte e que esta arte pode ser aplaudida...

Aplaudam a fotografia, aplaudam na, sintam na, vale a pena...

3 comentários:

Rita Ribeiro disse...

Pk o teu trabalho é arte e pk ei valorizo essa arte e nasci nesse mundo...APLAUSOS para ti grande FOTOGRAFO...espero k a tua objectiva e as tuas flashadas estejam sempre ao mais alto nivel....
Sabes k estou aki sempre para aplaudir, elogiar, opinar e criticar esse teu fiel e bonito trabalho...
Beijos

Filipa Teixeira disse...

palmas... palmas... palmas... palmas... palmas... palmas, realmente mereces mtas palmas pelo excelente trabalho k a tua objectiva capta, pois atras dela esta um optimo fotografo.

Bjts***

Hugo Manita disse...

Por vezes sentimos que a nossa arte não é valorizada, quando fotográfo moda e me saiem boas fotos, detesto ouvir: "A modelo tem mesmo jeito"... Então e o fotógrafo??? Quando fotográfo desporto e capto um momento importante, detesto ouvir: "Tiveste mesmo sorte, aconteceu o inesperado e a tua máquina disparou no momento exacto, Que sorte"... Quando fotográfo qualquer outro género de fotografia e as pessoas não sabem o que dizer, detesto que me digam: "A tua máquina é profissional e muito boa, tira boas fotos"... Mas que raio, é a maquina que tira ou é o fotógrafo? Costumo dizer que um bom bisturi não faz de mim um bom médico cirurgião, ou que uma boa caneta não faz de mim um bom escritor... Tem que ter nascido em mim a arte e o empenho para realizar a minha profissão da melhor forma... Pensem nisso, valorizem a nossa arte... Força Primo.. um abraço...